junho 21, 2010

Toy Story 3


Ah gente, sério... se eu fosse a Dreamworks, eu nem me atreveria a lançar Shrek 4 nos cinemas, lançaria diretamente pra dvd, pra evitar a vergonha, depois eu abriria falência ou investia em animações pornôs - porque Pixar já conseguiu se estabelecer como o melhor estúdio de animação atualmente e não tem pra ninguém! Sendo mais claro, Pixar é a Disney, Dreamworks é a Terra Encantada, queira fãs do ogro verde ou não!


Então somos presenteados com Toy Story 3, que mesmo tendo 11 anos desde o segundo filme, consegue perfeitamente mostrar que o estúdio não está pra brincadeira, e não lança filmes por lançar, ou pra faturar. Óbvio que o $$ vem, mas quando a preocupação é de fazer um trabalho bem feito, perfeito até, o lucro vem em dobro. E quando a aprovação e o reconhecimento do público é alta, a satisfação de ter comprido a missão com certeza deve ser maior ainda.


Toy Story 3 se passa exatamente 10 anos após o segundo filme. Andy já é um rapaz de 17 anos, que está prestes a entrar pra faculdade - pra ser mais exato, ele já começa o filme arrumando seus pertences no quarto, separando o que vai levar com ele, o que vai pro porão e o que vai ser jogado no lixo. A essa altura, como já é de se esperar pra qualquer pessoa nessa idade, todos os brinquedos de Andy já estão em desuso, jogados num baú. O cowboy Woody, que é o brinquedo preferido e melhor amigo de Andy na infância, é escolhido pelo rapaz como o único brinquedo que será levado com ele pra faculdade, sendo assim deixando todo o restante num saco, trancado no porão. E por um mal entendido, Woody, o patrulheiro espacial Buzz Lightyear, Jessie, Sr. Cabeça de Batata e cia, acabam parando numa caixa que será doada para uma creche chamada Sunnyside. E é a partir desse ponto que a história toma rumos inesperados.


A idéia de mexer com a criança escondida em cada adulto, de explorar exatamente aquela fase quando entramos em transição e nos desfazemos de nossos brinquedos, e tornar isso simbólico, é algo tão encantador no filme que não é possível alguém não ter um ataque nostálgico e se emocionar - e digo, MUITO! Sério, pra mim os melhores filmes são aqueles que mexe com seus sentimentos de várias formas simultaneamente, digo, além de chorar, é fazer você no segundo seguinte rir, e chorar, e rir novamente, misturando a tristeza com alegria. Como é bom! Pra ter uma idéia, só a abertura com a música tema "You've Got a Friend in Me" já é um bom motivo pra sentir aquela lágrima no canto do olho.


As piadas são engraçadíssimas e inteligentes, tanto pro adulto quanto pra criança, e todas mexendo com sua memória em relação aos brinquedos. As vezes nem precisa de uma pra rir, só algumas sacadas como por exemplo, a casa da Barbie, digo do Ken, e o elevador que ele usa pra descer já faz rir - impossível não lembrar como aquele elevador era estranho pra mover (quédizê...não que eu brincasse, que fique claro... gueerêlho...).


O filme conta com a mesma dublagem original, Tom Hanks como Woody, Tim Allen como Buzz. Mas como eu só vi os anteriores na dublagem em português, então, creio eu, que também não mudou. Pelo menos não notei diferença. Não sei se vale a pena se matar na fila pra pagar mais caro e ver em 3D nos cinemas. Pelo que li, não faz tanta diferença assim, apenas coisas sutis como profundidade e etc. Só posso dizer que a versão normal me agradou e muito - até porque depois da experiência lhyeeeeendah com Alice, fico até com medo e ver filmes em 3D.


Toy Story 3 é um dos melhores filmes feitos esse ano, até agora. Uma pena os produtores já afirmarem que foi o último filme da série, mas podendo ter a possibilidade de alguns curtas futuramente, pros personagens continuarem vivos. E por isso, já é meio que obrigação, quem gosta de Woody e sua turma, ter os filmes em dvd/bluray na coleção. Eu por exemplo, saí do cinema tão no clima, que já até estou querendo comprar os bonecos do filme pra mim. *_*
Será que eu chego?!

Nota: horrível - fraco - regular - bom - ÓTIMO

2 comentários:

Andreza disse...

eu chorei c o trailer, certamente vou chorar no filme, quero MUITO ver.

Blover Luh disse...

É mara, mara, mara...
Emociona e faz rir, exatamente como no texto ai.
Bjs.

Postar um comentário